A importância da Arte já é crivo da existência humana, mesmo sendo ignorada por muitos a lucidez e a sabedoria natural do Ser Social sabe da sua vital existência para o desenvolvimento da humanidade. Os tempos comprovam e pelo decorrer dele, ela, a Arte, sempre salvou a humanidade da insanidade coletiva, arrisco-me até a dizer que é o bálsamo do individualismo e do silêncio.

Nesse momento que vivemos de um coletivo individualizado, ela, a Arte entra de alicerce para banhar os dias que demoram a passar e que embalados por ela, ficam mais velozes e amenos.

Processo criativos estão sendo descobertos pelo estrangulamento dos dias que demoram a passar, e quem sobrevive, ela, a Arte.

“A Arte é a coisa mais importante do mundo, sem ela o mundo ruiria.”

 

Assim afirmava Domingos Oliveira, agora podemos coexistir com essa afirmação e percebermos que quando tudo está desmoronado sobre nosso dia a dia, ela, a Arte, entra pela janela como brisa fresca, bate na porta como mensageiro trazendo frases de amor, surge no quintal com a imagem mais bela de uma gota de chuva, e traz pelos livros empoeirados na estante, a melhor palavra para o cárcere globalizado em tempos de quarentena.

Bom deixar registrado que, em tempos de quarentena, o que primeiro foi fechado foram os teatros, os cinemas, os shows proibidos, os movimentos artísticos coletivos, claro, precisamos ter saúde para sermos mais artistas, isso é fato.

Então, o recado foi dado pela própria Arte, ela manda avisar que necessitamos realizar nosso movimento artístico interno e individual para sermos mais artistas. estávamos perdendo espaço nesse cenário caótico do mundo economicamente correto, ela, a Arte agora vira o destaque de todos os lares, o Ser Humano está buscando na música sua escura diária, na escrita seu desabafo, nos filmes seu entretenimento lúcido, na gastronomia sua habilidade artística, na pintura sua projeção interna, na poesia seu melhor Eu, e nos milhares vídeos, aquele cineasta escondido, as lives, a melhor tribuna, como no teatro grego, falamos e falamos para muitos sobre o que pensamos, isso nesse momento, Ela, a Arte, está de pé e aplaudindo a humanidade que está sobrevivendo as adversas circunstâncias de uma pandemia e buscando a Arte como Salvação. Não existe liberdade sem Arte, sejamos livres e artistas para atravessarmos esse momento, só assim faremos a perpetuação da Arte e da existência humana.

E para terminar, Domingos, sempre soube falar da Arte de forma simples e humana, o título desse artigo é uma frase dele, fica aqui o registro de um artista que viveu pela Arte.

Texto: Guilherme Duarte