Em minha carreira como jogador de futebol profissional eu perdi mais do que ganhei.
Sim, é verdade. Foram mais derrotas do que vitórias.
Assim é o futebol. Nesse esporte você mais perde do que ganha.

Eu conquistei 25 títulos nos times onde eu joguei. Todos e cada um deles muito importantes. Até a Copa do Mundo eu venci. Foi em 2002.

Mas também fui derrotado. Muito.

Foram 16 anos de carreira como profissional do futebol. Em média 3/4/5 campeonatos disputados a cada ano.
Calculo aqui algo em torno de 60/70 competições ao todo.

E o pior; perdi muitas finais de campeonatos. Como exemplo tenho derrotas em finais de campeonatos estaduais, no Brasileirão, Copa do Brasil, Mundial de Clubes, Champions League, SuperCopa da Europa… e também perdi semi-finais como a da Liga Europa, da Champions League… e tantos outros campeonatos e torneios.

O que me tornou um vencedor no esporte mais competitivo do mundo foi saber perder.

 

Aceitar, entender e REAGIR.


Treinar, me superar. E logo treinar ainda mais para superar os adversários, que muitas vezes eram os melhores jogadores do mundo.

E perder no futebol é muito violento. É humilhação pública. É julgamento. É desprezo. Esse esporte é assim. A paixão esta muito próxima do ódio.

Nessa trajetória, criei um código de honra pessoal que foi fundamental para me ajudar a superar tudo isso:
Disciplina, Competitividade, Trabalho em Equipe, Persistência e Determinação.
Na vitoria e na derrota. No sucesso e no fracasso.


E agora é assim também fora dos campos. Ontem, hoje e sempre!