Transporte aéreo – Parte 1: A documentação

Já passamos algumas dicas para viagens de carro para você, e agora vamos te ajudar com informações essenciais para embarcar numa experiência nas alturas com seu animal de estimação.

Se você decidiu aventurar-se com seu fiel companheiro em uma viagem de avião, saiba que existem diversos procedimentos para seguir antes do embarque. Mas não se preocupe, a Olá Pet! deixa você por dentro de tudo.

Começamos pelas dúvidas mais frequentes.

Onde o animal de estimação é transportado? Posso levar o pet comigo na cabine? Antes de mais nada, é importante ressaltar que não existe uma regra geral para o transporte aéreo de animais de estimação, e cabe a cada companhia aérea decidir suas considerações acerca do processo. Portanto, a primeira coisa a fazer é entrar em contato – de preferência com antecedência – com a empresa escolhida para entender a política de transporte dos pets.

A partir daí, você saberá qual o peso e tamanho máximo dos animais de estimação permitidos na cabine (já adiantamos que são os de pequeno porte), como é feito o transporte na cabine (normalmente, o pet fica dentro da caixa de transporte abaixo do assento durante todo o voo) e como é realizado o transporte no porão no avião (ambiente climatizado e pressurizado para os pequenos). As taxas são cobradas de acordo com o peso do pet e companhia aérea variando de R$200 a US$300.

Há, no entanto, algumas exceções: cães-guia e cães de apoio emocional podem viajar presos à guia ao lado de seus tutores na cabine, independentemente do tamanho que possuem.

A ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) se limita a informar que, nos casos em que o animal de estimação é levado como bagagem de mão, pode haver a necessidade de algumas inspeções, como a passagem pelo detector de metais e a revista. Contudo, em hipótese alguma os pets são submetidos a equipamentos de raios X – embora seus acessórios possam, sim, passar por esse procedimento.

Assim como acontece conosco, os procedimentos são um pouco diferentes para pets que farão viagens nacionais e internacionais.

 

Em território nacional, as companhias aéreas solicitam o Atestado de Saúde para Viagens de Cães e Gatos, disponível no site do Governo Federal, que deve ser assinado por um Médico Veterinário e emitido até 10 dias antes da viagem. A Carteira de Vacinação também deve estar em dia.

Já no caso de viagens internacionais, é necessária a emissão do Certificado Veterinário Internacional (CVI), documento que atesta a boa condição sanitária do pet que vai ingressar em outro país. Para a solicitação do CVI, você precisa enviar ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) o mesmo Atestado de Saúde das viagens nacionais acompanhado dos demais documentos requeridos pelo país de destino e assinado devidamente por um Médico Veterinário com registro válido junto ao Conselho Regional de Medicina Veterinária. Sendo assim, também é preciso verificar as exigências sanitárias atualizadas junto à Embaixada, ao Consulado ou ao Órgão Veterinário oficial do país de destino. O prazo de validade do CVI é de 2 a 10 dias a partir da emissão, mas a recomendação do governo é que você entre em contato com as emissoras do documento com, no mínimo, 30 dias de antecedência, visto que os atendimentos estão sujeitos a agendamento prévio.

Também é possível solicitar o Passaporte para Trânsito de Cães e Gatos, que não é obrigatório para viagens internacionais, mas é aceito como uma alternativa ao CVI nos países que possuem acordo de equivalência com o Brasil e que substitui o Atestado de Saúde em viagens nacionais – desde que as informações sanitárias do animal de estimação tenham sido registradas recentemente no Passaporte por um Médico Veterinário. A emissão é gratuita e demora até 30 dias úteis.

Para o ingresso dos animais de estimação no Brasil, é necessário apresentar o CVI ou o Passaporte emitido e assinado pela autoridade veterinária do país de origem atendendo aos requisitos sanitários do Brasil.

Prepare todos os documentos e fique atento às dicas da próxima edição – Transporte Aéreo – Parte2: Cuidados com a saúde e bem-estar animal para viagens aéreas.

 

E boa viagem com seu pet!

Patricia Moraes – Olá Pet!

@olapet.friendly
@olapetvivenciapetfriendly