Em uma de minhas vindas a Maraú, tive o prazer de conhecer um casal que amo até hoje.

Renata que atua na produção de festas maravilhosas e Sérgio.

Amizade que voltou para São Paulo e só cresce.

Fiquei muito feliz por saber que minha querida amiga Renata começou a fazer peças muito especiais, lindas, exclusivas e o melhor, utilizando material sustentável.

Ela conta que tudo começou após uma viagem ao México quando ficou impressionada com a qualidade do artesanato e a ousadia de cores e formas.

 

A decoração dos restaurantes, pousadas e lojas que abusam do artesanato local que além de ter muita qualidade é contemporâneo e de muito bom gosto.

 

Começou então há pouco tempo a fazer bolsas e depois mobiliário em parceria com arquitetas que desenham esse tipo de peça enquanto Renata criava a arte em corda feita em macramê.

Para que não sabe, o macramê é uma arte milenar q nasceu na Península Arábica e consiste em sequência de nós, era usado para fazer barrados e franjas das túnicas árabes.

A palavra macramê significa “nó” e tem origem provavelmente árabe -“migramah” – que significa franja ornamental. É uma arte que, como a tecelagem,  tem origem na pré-história, quando o homem desenvolveu a habilidade de amarrar fibras para se proteger do frio e também para criar objetos.

Ao contrário de outras técnicas, que utilizam um tear ou agulhas, o macramê não utiliza nenhum tipo de ferramenta ou de maquinário para tecer: as fibras ou os fios vão sendo trabalhadas com os dedos.

E sobre o material utilizado que Renata usa para fazer as peças?

É muita fibra de algodão mas também cordas feitas de garrafas pet recicladas.

Produzidas com materiais derivados da natureza ou reciclados, as cordas da Eco-friendly Rope apresentam ótimo custo-benefício. São usadas em larga escala para diversos segmentos e garantem resistência em todas as suas aplicações. Nessas cordas Eco-friendly P.E.T são utilizados materiais derivados da natureza ou reciclados.

O PET (Poli Tereftalato de Etileno) é um plástico utilizado tradicionalmente em garrafas de refrigerantes, águas e sucos. Mesmo com a aparência frágil, ele é de difícil degradação, o que acaba gerando grandes problemas para o meio ambiente. Por outro lado, ele pode ser reutilizado como matéria-prima e ser reaproveitado para a criação de outros produtos.

Pensando nisso, algumas empresas desenvolveram uma linha inteira de móveis com cordas PET. As cordas são feitas com 100% de material proveniente de garrafas PET recicladas. Para produzir 1kg de corda PET, são tiradas da natureza 20 garrafas PET de 2 litros.

Com maquinário e tecnologia todo o material das garrafas é aproveitado durante a produção, gerando ainda mais benefícios para o meio ambiente.

 

Depois dessa fase vem o processo de extursão que nada mais é do que colocar esse material triturado para passar por dentro de tubos e orifícios que tem como objetivo de transformá-lo em um filamento.

Em seguida esses filamentos passam pelo processo de “trança”, sendo presas umas às outras de um modo trançado a fim de criar a corda de fato.

Depois alguns testes de resistência são feitos para que seja entregue no mercado um produto de ótima qualidade.

E novamente, como costumo falar nos textos sobre sustentabilidade, se temos a opção de comprar um produto que tira do meio ambiente inúmeras garrafas pet, porque não o fazer? Porque não pesquisar que usa esse material e prestigiar e incentivar comprando esses produtos?

O diferencial é que assim você estará colaborando com o meio ambiente. Uma garrafa pet descartada no ambiente levaria anos e anos para se decompor. Além disso, as cordas ecológicas não impactam o ambiente negativamente porque não há extração ofensiva de componentes da natureza.

Existem também os fios reciclados que são muito utilizados na indústria têxtil, por se tratar de um tipo de matéria prima que permite dar origem a diversos outros produtos, com o benefício de ser limpo e sustentável.

Eles são obtidos a partir de algodão recolhido através de retalhos da indústria têxtil de confecção, são desfibrados e reciclados, se transformando em uma excelente opção para uma das indústrias que mais causam danos a natureza.

Empresas como a JF Fibras, por exemplo, localizada em Suzano /São Paulo contribui para o beneficiamento de 1.600.000 quilos por mês de retalhos têxteis que seriam descartados no meio ambiente, e essa ação, além de contribuir com o meio ambiente acaba estimulando a atividade da coleta seletiva.

Os desfibrados têxteis são produzidos a partir de retalhos das indústrias de vestuário e confecções de cama, mesa e banho. Com as sobras de tecidos de algodão, jeans, malha, sintéticos e acrílicos, é possível obter matérias-primas de qualidade para diversos usos.

A utilização de desfibrados têxteis é um processo ambientalmente adequado porque as sobras das indústrias são recicladas, ao invés de serem descartadas em aterros sanitários.

Esse processo reduz o desperdício de matérias-primas nobres como o algodão.

De modo geral, os desfibrados têxteis são utilizados na fabricação de fios reciclados, material para revestimento acústico, panos de limpeza, cobertores, no enchimento de almofadas e bichos de pelúcia. É uma matéria-prima de qualidade e baixo custo.

Fazer moda ou decorar uma casa utilizando esse tipo de material, faz do artesão um soldado na batalha para agredir menos possível o meio ambiente e nós, como consumidores temos o dever de refletir melhor a compra e escolher produtos que utilizam esses materiais.

Minha querida amiga Renata tem um Instagram onde expõe e vende suas peças que são de extremo bom gosto e que utilizam grande parte desse materiais descritos acima.

Prestigiem, sigam e consumam com consciência: https://instagram.com/renatababolin?igshid=hzzpj6u1u6pw

#ecofriendly #desfibrados #reciclagem #meioambiente #fiosecologicos

Leave a comment

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *