Dia dos Namorados

Dia dos Namorados
 

Na semana do Dia dos Namorados pesquisei sobre a origem da data dos namorados, que é uma aqui no Brasil e outra no exterior.

 

Uma teoria relaciona a origem do Dia dos Namorados ao Dia de São Valentim, celebrado em 14 de fevereiro pelos casais apaixonados na maioria dos países do Hemisfério Norte. Nesse caso, tudo começou quando o imperador Cláudio II de Roma decidiu — no século III — proibir o casamento, para poder dispor de mais homens solteiros que serviriam como soldados nas guerras.

 

Entretanto, um sacerdote da época, chamado Valentim, discordando das ordens do imperador, continuou celebrando casamentos em segredo. Ao ser descoberto por Cláudio, Valentim foi preso e condenado à morte, e começou então a receber bilhetes e flores de jovens que diziam ainda acreditar no amor. Aliás, enquanto estava na prisão, o sacerdote teria se apaixonado por uma moça cega chamada Asterius, filha do carcereiro que o atendia.

 

Reza a lenda que Valentim fez um milagre e a moça recuperou a visão, o que não foi suficiente para livrá-lo da morte.

 

Assim, na véspera de sua execução — que ocorreu no dia 14 de fevereiro —, o sacerdote teria escrito uma carta de despedida para a sua amada, terminando com a expressão “seu Valentim”, forma que até hoje é usada em países como os Estados Unidos e a Inglaterra (“your Valentine”) para assinar os cartões de Dia dos Namorados.

Também fala-se que os costumes relacionados com este dia podem ter vindo provavelmente de um antigo festival romano chamado Lupercália, que se realizava todo dia 14 de fevereiro. A festa celebrava a fertilidade homenageando Juno (deusa da mulher e casamento) e Pan (deus da natureza) e também marcava o início oficial da primavera.

 

No Brasil, a data foi criada pelo publicitário João Doria, sendo comemorada no dia 12 de Junho por ser véspera do 13 de JunhoDia de Santo António, santo português com tradição de casamenteiro. 

 

João Doria trouxe a ideia do exterior e a apresentou aos comerciantes paulistas, iniciando em junho de 1949 uma campanha com o slogan “não é só com beijos que se prova o amor”.[11] A ideia se expandiu pelo Brasil, amparada pela correlação com o Dia de São Valentim — que nos países do hemisfério norte, ocorre em 14 de fevereiro e é utilizada para incentivar a troca de presentes entre o casal apaixonado.

 

O publicitário em questão é João Agripino da Costa Doria, pai do governador de São Paulo João Doria. Nascido em 1919, João Agripino trocou a Bahia pelo Rio de Janeiro em 1942 e, dois anos depois, começou a carreira na publicidade como redator da empresa Standard Propaganda S.A.

Em 1945, assumiu a direção da filial da agência em São Paulo. Em 1948, ele se viu diante de um desafio: impulsionar as vendas da rede de lojas de roupas Exposição – Clíper.

 

O Dia das Mães garantia os lucros de maio. A data era popular no Brasil desde a década de 1910, mas apenas nos anos 1940 havia se tornado um fenômeno comercial. Faltava um fenômeno parecido em junho. Foi quando João Doria teve a sacada de relacionar uma nova data ao santo casamenteiro.

O anúncio impresso ignorava o fato de que, em quase todo lugar, o dia dos namorados é comemorado em fevereiro: “Êste (sic) é o dia em que no mundo inteiro as criaturas que se amam trocam juras de amor e ternos presentes…” E finalizava: “Não se esqueçam: amor com amor se paga”.

 

Atualmente, o Dia dos Namorados já é a terceira melhor data para o comércio no país – atrás apenas do Natal e do Dia das Mães. A média do faturamento do dia romântico já chega perto de R$ 1,5 bilhão.

Algumas curiosidades sobre a data:

  • Muitos rapazes esperam esse dia para fazer seus pedidos de casamento, e a compra de joias também aumenta bastante nesta época do ano;
  • Anualmente, mais de mil cartas endereçadas a Julieta, a eterna amante de Romeu — personagens fictícios criados por William Shakespeare —, são enviadas à cidade italiana de Verona;
  • No Japão, quem presenteia nesse dia são as mulheres, com chocolates e quitutes feitos por elas para os seus prometidos ou pretendentes. Já os rapazes retribuem a gentileza um mês depois, no dia 14 de março;
  • Estima-se que 1 bilhão de cartões sejam “trocados” no Dia dos Namorados só nos EUA, ficando atrás apenas dos cartões enviados no Natal, que alcançam a marca de 2,6 bilhões de unidades;
  • Todos os anos, mais de 50 milhões de rosas são presenteadas por conta dessa celebração.

Agora passando para minha vida pessoal, acreditem se quiser, tive apenas 2 namorados na vida inteira. O primeiro aos 15 anos com o qual casei em 1995 e tive 3 filhos, me separei depois de 26 anos juntos. E o segundo é o meu atual noivo com quem estou desde o final de 2014.

Vale lembrar que toda forma de amor vale a pena e expressá-lo tem que ser algo diário, mas já que temos uma data especial, que aproveitemos ainda mais essa “desculpa” para estar ao lado de quem amamos.

Feliz Dia dos Namorados!!

Fontes:

www.megacurioso.com.br

www.wikipedia.org

www.gazetadopovo.com.br

#diadosnamorados #happyday #love #loveisintheair