Repetir, Repetir, Repetir….

Talvez você seja dona de um armário abarrotado de peças lindas, que cabem no seu corpo… e que, obviamente, combinam com o seu lifestyle.


Mas você cisma em repetir o mesmo vestido azul, porque…. Porque…. Ele te faz sentir mais iluminada, mais bonita, mais poderosa? Te faz sentir bem?

Inclusive, já o vem REPETINDO dito cujo desde anteontem….
E, provavelmente, vai acabar fazendo um repeteco mesmo antes de mandar lavar….

 
Este mistério tem um nome e, posso até lhe dizer, que não está ligado à sustentabilidade, e sim a uma sensação de bem estar que esta peça pode trazer, chamada de DOPAMINA DRESSING.


Vestir Dopamina, é muito mais do que uma simples tendência, é encontrar um efeito de felicidade e empoderamento ou até mesmo de conforto e sensações de bem estar, dentro da roupa que você veste. É sobre uma relação comportamental com a roupa que vestimos. É se conhecer melhor e entender aquela peça que te representa.

Vestir dopamina
É aquela roupa que, uma vez que você coloca, todo o seu humor é levantado, e você fica confiante de que você pode assumir o que a vida joga em você. Pode ser aquele vestido preto que abraça o seu quadril, seu jeans favorito azul desbotado, ou até mesmo um conjuntinho de moletom confortável.


A Dopamina é um neurotransmissor relacionado com o chamado “sistema de recompensa” e que desempenha um papel na forma de como sentimos prazer. Não só pode combater a depressão e melhorar seu humor, como nos trás a sensação de bem-estar.
Agora, imagine unir uma peça de roupa especial ao poder de cores que podem dar um up no seu mood!!! Isso mesmo… É como uma experiência sensorial.

Cor, shape, textura, memória afetiva e até o cheiro que aquela peça tem, pode fazer seu cérebro impulsionar a dopamina. E aí está a explicação para a sua paixão.

Há alguns anos, estudos têm sido feitos para entender qual o impacto que as roupas que usamos têm sobre nós. 



Já se perguntou se roupas coloridas podem melhorar seu humor?


” A cor é uma ótima maneira de levantar nossos espíritos e aumentar nossos humores em um instante. Nossa confiança pode ser aumentada quando usamos cores que amamos e nos sentimos bem… Instintivamente sentimos e nos comportamos de forma diferente em torno das cores por causa de como levamos a cor através de nossos olhos e através da parte do nosso cérebro onde nossas emoções residem.”

Karen Haller é psicóloga de cores e autora de O Pequeno Livro da Cor

Segundo a psicologia das cores, existem certos tons que tem a capacidade de elevar o humor, de acalmar os ânimos, assim como, nas últimas semanas de moda internacionais, alguns estilistas apostaram em tons mais vivos e quentes com o intuito de estimular a alegria.


Mas é importante deixar claro que todos nós temos diferentes associações simbólicas com cores baseadas em nossas próprias experiências.


É por isso que temos um estilo pessoal. Ainda bem, né? O que seria do azul se todos amassem somente o vermelho?


Por exemplo, dizer que Tons pastel, supostamente, devem nos trazer otimismo, disposição e doçura, quando eles talvez sejam muito sem açúcar para uma pessoa com personalidade mais ousada e autoritária. E assim por diante… Nada é igual para todos!

À medida que saímos do confinamento, parece perfeitamente possível que muitos de nós abracemos mais cores enquanto tentamos injetar o máximo de alegria possível de volta em nossos guarda-roupas e em nossas vidas. Um arco-íris de emoções representados no vestir.


Mas, em última análise, se você está procurando encorajar sentimentos de felicidade e contentamento através de seu próprio guarda-roupas, você não precisa recorrer a uma cor específica, basta olhar para o que você já sabe que ama.


Adicione mais de suas cores favoritas em sua vida, – as que lembram um momento muito especial. Use cores que te fazem sentir confiante e alegre!
E, prepare-se, monte aquela produção super extra Dopamina Dressing…. Porque imagina o grau de dopamina só de poder chegar lá na fila da vacina!!!!


Capricha, de verdade!


E lembre-se, sempre, mais importante do que a roupa ou a cor que a gente veste, é aquilo que a gente sente dentro dela!

Fiquem bem!
Um beijo, Cris Galotti.