No dia de hoje completo 16 dias de quarentena e hoje seria o dia em que minha mudança de apartamento estava marcada.

 

Há quem goste de mudança mas eu nunca gostei da logística da coisa.

 
 

Lembro da minha infância como a empresa Granero romantizava, em uma propaganda que ficou muito famosa, esse período de mudança, mas a prática é bem diferente.

Confesso não ser a pessoa mais organizada desse mundo e mexer nas coisas de casa, roupas, etc me tira do eixo, porém é necessário.

 
 

Mas não é só querer mudar ou só marcar e ir, e porque? Porque foi indicada a quarentena e isolamento social e estou seguindo, usando novos cantinhos que ainda não estão desmontados devido a mudança, usando o computador para fazer reuniões, etc.

 

Caixas empilhadas pela casa, armários vazios, prateleiras esvaziadas ficarão de standby.

Pois bem, o apartamento para onde vou estava em obras, alguns vazamentos, pintura, troca de piso, etc.

Quem faz esse serviço? Empreiteiro, arquiteto, pedreiros, pintores, encanadores…

 

Assim como eu, eles tinham todo o direito que ficarem em casa. Alguns atrasos e previsões foram ajustadas por conta disso mas a mudança estava mantida, mesmo que alguns itens ficassem para eu fazer depois que estivesse morando.

Então, ao agendar a mudança no condomínio que moro atualmente me informou que as mudanças estavam temporariamente suspensas até segunda ordem!!!

Imediatamente fiquei brava, frustrada, consultei advogado, porque eu tinha prazo para entregar o apartamento do contrário teria que arcar com uma multa diária.

 

Aí você fica totalmente na mão do bom senso e solidariedade dos outros que devem entender que nenhum contrato no planeta poderia prever a situação pela qual estamos passando nesse momento.

Falei com o síndico do apartamento para onde vou mudar, com o síndico geral aqui do condomínio, com o síndico da minha torre, com o corretor que vendeu o apartamento e finalmente como novo proprietário que, obviamente, já tinha planos como enviar a arquiteta para iniciar as possíveis reformas e sua mudança também.

Nessas horas o melhor é lidar com os fatos e com as coisas que fogem do seu controle. Fiquei nervosa inicialmente mas fui acalmando e lidando com todas as opiniões das partes envolvidas para evitar o máximo possível transtornos não só para mim mas para todos envolvidos.

Sem citar nomes e quem, tive diferentes reações a essa situação. Teve quem dissesse: “existe um contrato e é preciso ser seguido”, “podemos entrar na justiça para obrigar a mudança”, mas dizem que, nesses momentos a parcimônia fala mais alto.

A princípio, ficarei mais alguns dias por aqui sem pagar multa, e vamos reavaliar a situação daqui uns dias já que inúmeras variáveis estão na mesa: a empresa de limpeza de obra estará funcionando? A empresa de mudança está autorizada a atuar já que não é do ramo de primeira necessidade, serviço essencial? O condomínio vai liberar as mudanças? O apartamento para onde vou vai autorizar a mudança?

Li ontem uma entrevista com o rabino Nilton Bonder com o título: Coronavírus: “Os ativos mais valiosos não serão o dólar ou papel higiênico, mas com quem podemos contar”.

 

Nesse tempo de crise mundial, dificilmente estamos preparados para essa interrupção de rotina, o que gera muita frustração, insegurança e dúvida. Por outro lado, é a nossa chance de se reinventar, ser criativo e ter resiliência e capacidade de adaptação.

 Não há problema na vida que não seja um convite à criatividade, à criação de soluções para o que é inédito. O vírus muda porque é da vida. Somos parte da vida e também temos uma capacidade de adaptação incrível, visto nosso currículo como espécie.

Muito do texto do rabino gira em torno de como as pessoas precisarão rever e dar peso ao que realmente importa na vida.

Extrai e escrevo agora uma parte importante dessa entrevista:

“Acredito na empatia do brasileiro. Em poucos lugares a reação diante de uma emergência é como aqui, onde pessoas correm para auxiliar. Não há problema na vida que não seja um convite à criatividade, à criação de soluções para o que é inédito. O vírus muda porque é da vida. Somos parte da vida e também temos uma capacidade de adaptação incrível, visto nosso currículo como espécie. Vamos, mesmo com adversidade e sofrimento, encontrar um modo de reforçar esses valores.”

Contar com o bom senso de todos de uma cadeia de pessoas que uma mudança de casa e reforma envolve é algo que nessa crise será necessário e, quem sabe, perdurar para tempos “normais”! Que as pessoas sejam mais tolerantes e saibam enxergar além de um contrato em uma situação fora do comum.

Para encerrar um sábio conselho de Bonder:

Fiquem alegres. A alegria independe das limitações, ela é inerente a viver. Todos estamos perdendo dinheiro, oportunidades, projetos e até a vida. Isso não inviabiliza a alegria de viver os momentos, as trocas, os carinhos e de resistir até que se dê a travessia deste mar. Ele vai abrir! E mais chances de estarem na outra margem terão os que caminharem sem abdicar de sua alegria.”


Enfim, tudo no fim dá certo!!! Cenas dos próximos capítulos informarei por aqui em breve. Torçam por todos!!!

Dani Mollo. 
 

#mudança #coronavirus #covid19 #legislacao #resiliencia #adaptacao #dancarconformaamusica