Espumante Nacional

Espumante Nacional

​Você já deve ter ouvido por aí que o espumante brasileiro vem fazendo muito sucesso pelo mundo afora- medalhas em concursos internacionais e elogios da imprensa especializada são a prova disso. E existem muitas razões para que o Brasil se destaque na produção de espumantes de qualidade.

​A primeira é o clima. A maior parte da produção vem do Rio Grande do Sul, onde chove muito. A umidade é excelente para produzir uvas com muita acidez,  perfeitas para um bom espumante. A sensação de freacor, que limpa a boca e provoca salivação, é causada pela acidez. E essa é uma característica que os nossos espumantes têm de sobra. Para uma boa harmonização de vinho com comida, acidez é a chave. E isso a maioria de nossos espumantes tem de sobra.

Embora o Brasil venha produzindo espumantes desde a fundação da Peterlongo em 1913, o grande salto na qualidade aconteceu mesmo no final dos anos 1970.

Impossível contar sobre o desenvolvimento do espumante nacional sem falar no enólogo chileno Mario Geisse.

Foto: Blog O Globo

Em 1976 ele foi contratado pela Chandon para implementar sua produção de espumantes na Serra Gaúcha. Além dele, a empresa trouxe tecnologia que não se via por aqui na época. Geisse logo percebeu o potencial da região. Encontrou o local perfeito em Pinto Bandeira, e lá iniciou seu projeto paralelo, a Cave Geisse. Em 2011 a grande escritora e Master Sommelier Jancis Robinson conheceu os espumantes de Geisse e se encantou, o que trouxe fama internacional à vinícola e colocou o espumante nacional no mapa. Estamos falando de uma história que começou há apenas 40 anos. Pode parecer muito, mas no mundo do vinho é praticamente nada. Não dizem que a vida começa aos 40? Estamos apenas no começo!

Outro fator importante sobre os espumantes brasileiros é a diversidade da nossa produção. Sabemos que o Brasil é um país enorme, cheio de diferentes microclimas. Claro que nem todos são adequados para vinhos e espumantes, mas a produção não se limita somente ao Rio Grande do Sul. O planalto catarinense e o Vale do São Francisco também se destacam quando falamos em espumantes brasileiros. Produzimos desde o super seco extra-brut até o moscatel super doce e que agrada muito o paladar do brasileiro. Também utilizamos tanto o método tradicional, como o de Champagne, em que a segunda fermentação ocorre na garrafa, resultando em vinhos mais complexos e encorpados; como também o método Charmat, no qual a fermentação é feita em cubas de inox, produzindo espumantes frutados, frescos e fáceis de beber. Ou seja: temos espumantes de todos os tipos e para todos os gostos e para qualquer ocasião.

Além de todos estes fatores mais técnicos, tem outra razão muito importante para o espumante nacional fazer tanto sucesso e seu consumo interno crescer a cada ano: brasileiro adora uma festa! Bolhas combinam com nosso estilo de vida, nosso clima quente, nossas comidas e até com a nossa mania de transformar tudo em uma grande diversão! E que fase chata que vivemos agora, sem poder festejar, brindar e se abraçar! Mas ao abrir um espumante, só de ouvir o barulhinho das bolhas e sentir o frescor em boca, já temos motivos para comemorar!

Daniella Dinis
Sommelière

/daniella.w.dinis
@danielladinis

Fontes:

www.familiageisse.com.br
www.embrapa.br
www.marcelocopello.com

https://www.travelandleisure.com/food-drink/wine/serra-gaucha-wine-region-brazil?amp=true

https://www.jancisrobinson.com/learn/wine-regions/brazil

http://www.marcelocopello.com/post/5-motivos-para-voce-gostar-de-espumante-brasileiro