Harmonização para a ceia de Natal

Harmonização para a ceia de Natal

Harmonizar vinhos com comida é uma tarefa fantástica. Não há bebida que harmonize melhor com comida do que vinho. E não estou “puxando sardinha” para o vinho pois sou uma amante da bebida não. A acidez natural do vinho faz com ele seja perfeito para a hora da refeição. Uma harmonização que dá certo melhora tanto o vinho quanto a comida.

Mas e na ceia de Natal? A ceia farta e cheia de pratos variados é emblemática no Brasil. E cada família tem sua tradição para esta data tão especial. Então falar que um vinho vai harmonizar com todos os pratos é um pouco utópico.

A maioria das matérias sobre harmonização que vemos por aí fala “harmonize o peru com um vinho, o porco com outro, o bacalhau com um terceiro e se tiver carré de cordeiro ou filé mignon um quarto ou quinto”… complica tudo né?
Ainda mais no ano de 2020, que temos que limitar as festas e pessoas do nosso convívio mais próximo

Então trago aqui algumas opções coringa, estilos de vinho fáceis de encontrar, e que funcionam bem com os pratos mais comuns da ceia.

1) Cava espanhola para as entradas: o espumante feito pelo método tradicional tem notas de frutas secas e harmoniza muito bem com entradas natalinas a base de nozes, damascos, ameixas, com queijos e estradas frias como saladas.

2) Chardonnay com passagem por barrica: vinho branco encorpado com estrutura perfeita para harmonizar com peru, chester e outras aves. Se na sua ceia tem pratos a base de bacalhau, dá super certo também.
Adoro o amanteigado que a passagem por madeira confere ao Chardonnay com bacalhau com natas. Tem ótimas opções chilenas e argentinas.

3) Rose: se eu tivesse que escolher um único vinho para a ceia de Natal, mesmo sem saber o que será servido, eu ia de rose. Não é a toa que roses são considerados coringas da harmonização: lembra quando falei que vinho para harmonizar com comida precisava ter acidez? Os bons roses têm. Gosto muito dos roses de Malbec pois são frutados e ficam muito bons com pratos agridoces, como tender com purê de maçã ou pernil. Mas for servir frutos do mar, um rose da Provence, mais leve e com a acidez acentuada é mais indicado.

4) Tinto leve: o Natal é em dezembro, e no Brasil faz calor. Nos dias quentes eu sempre prefiro roses e brancos, servidos geladinhos ( entre 8 e 10). Mas em muitas casas o vinho tinto é tradição, então se for optar por um um tinto, escolha um leve, com taninos bem “domados”. Apesar de comermos bastante no Natal, peru, chester, tender são carnes leves, que precisam de um vinhos menos tânicos. Um bom Pinot Noir, de preferência da Borgonnha é uma opção fantástica. Ele também funciona muito bem com fillet mignon e até salmão!

5) Sobremesa: sou apaixonada por vinho de sobremesa, especialmente quando a doçura é equilibrada com a acidez. E minha sugestão, que fica simplesmente perfeita com panetone e qualquer sobremesa a base de frutas secas é o Moscatél de Setúbal. Combinação divina!! Mas se sua sobremesa for a base de frutas frestas, um bom espumante nacional a base da uva moscatél vai muito bem.

Desejo que o Natal de vocês seja muito feliz, cheio de boas comidas, bons vinho e brindes com pessoas queridas! Afinal, quando as boas companhias fazem parte da harmonização ela fica melhor ainda!

 

Daniella Dinis
Sommelière

/daniella.w.dinis
@danielladinis

Fontes