Jovem usa Petrus 1999 do pai para fazer sangria em uma festa com amigos

Jovem usa Petrus 1999 do pai para fazer sangria em uma festa com amigos

Recentemente a notícia de uma adolescente que usou um Petrus 1999 do pai para fazer sangria em uma festa com os amigos chamou atenção do mundo. O vinho, que valia cerca de R$14.000,00 estava guardado há 17 anos, esperando uma ocasião especial. E o pai nem chegou a prová-lo.

Ao ler a reportagem narrando o ocorrido muita gente pensou: “quem mandou guardar? Era melhor ter bebido de uma vez!” O fato é que alguns vinhos precisam mesmo de muito tempo para ficarem prontos e atingirem todo o seu potencial. Um Petrus jovem pode ser tânico demais, até intragável. São os anos em garrafa que o tornam macio, equilibrado e complexo. Tão especial que é considerado um dos melhores (e mais caros) vinhos do mundo.

Para ter uma ideia de como esses vinhos são feitos para envelhecer, a safra de 2000 do Château Petrus, considerada excepcional, deverá atingir seu apogeu em 2060. A safra de 1982 de Bordeaux é uma das mais celebradas da história. E quem tem a chance de beber vinhos do grandes châteaux afirma que hora de beber esses vinhos é agora. 2021, 2022 – 40 anos depois. Sorte de quem teve paciência de esperar!

Mas não pense que todo vinho melhora com o tempo. Na verdade, 95% dos vinhos devem ser bebidos entre 1 a 5 anos após seu lançamento no mercado. Ou seja, poucos vinhos são destinados à guarda. Para que um vinho melhore com o tempo, ele precisa de álcool, acidez, tanino e fruta. Esses elementos devem estar equilibrados para que o vinho tenha capacidade de evoluir. No caso dos vinhos de sobremesa e os fortificados, o açúcar ajuda muito na conservação. Alguns vinhos do Porto chegam a 150 anos, em constante evolução.

Os vinhos com potencial de guarda são muito apreciados por sua complexidade. O tempo de envelhecimento em barricas de carvalho ou garrafas faz com que eles desenvolvam aromas terciários como aceto balsâmico, funghi, folhas secas, caixa de charuto, caramelo e café. Quanto mais descritores um vinho tem, maior sua complexidade e qualidade.

Dentre os vinhos franceses, além dos grandes Bordeaux, os vinhos da Borgonha também possuem grande potencial de envelhecimento, assim como os italianos Barolo, Barbaresco e Brunello di Montancino, e os espanhóis da Rioja e Ribera del Duero. Esses vinhos – dependendo do seu terroir e produtor- podem durar 20 anos ou mais.

No entanto, saber a hora de abrir um vinho de guarda não é uma ciência exata. O vinho é um organismo vivo. A maneira como a garrafa é conservada interfere no seu processo de envelhecimento. Podemos provar um vinho hoje e assumir que por ter taninos firmes, boa fruta e muita acidez ele pode envelhecer bem. Degustadores experientes fazem suas apostas, mas a certeza absoluta é bem difícil. Acompanhar a evolução de um vinho e ter boas surpresas na hora de abrir uma garrafa guardada há anos deixa tudo mais interessante!


A partir de agora, se algum amigo disser que você envelhece como um vinho, peça para a pessoa ser mais específica. Se não for para envelhecer como um Grande Bordeaux, Borgonha ou um belo vinho da Ilha da Madeira, melhor repensar a amizade.

Daniella Dinis
Sommelière

/daniella.w.dinis
@danielladinis