E a saudade de viajar como fica nessa quarentena? A primeira vez que fui a Itália tinha cerca de 20 anos de idade e me encantei.

 

Como neta de calabrês tudo parecia muito familiar, só o clima que era bem diferente!! Fui no inverno bem rigoroso e cheguei a pegar neve enquanto andava de gôndola.

 

Especialmente em Veneza, cidade super romântica e rica em cultura, história e belezas fiquei deslumbrada com tudo.

 

Nessa ocasião fui até a cidade de Murano, pois é uma ida obrigatória para quem vai para lá pela primeira vez.

 

É um encanto ver tantos artesãos trabalharem com o vidro como se fosse fácil e o transformando em verdadeiras obras de arte.

 

Nessa primeira vez comprei várias peças decorativas para a família e para decorar meu apartamento.

 

Murano, embora descrita como uma ilha da lagoa de Veneza, é um arquipélago de sete ilhas menores, das quais duas são artificiais (Sacca Serenella e Sacca San Mattia), unidas por pontes entre si. Tem aproximadamente 5500 habitantes e fica a somente a 1 km do centro de Veneza. Murano é um local famoso pelas obras em vidro de Murano, particularmente objetos decorativos e candeeiros.

Foi fundada pelos romanos, e desde o século VI foi habitada por gente procedente de Altino e Oderzo. A principio, a ilha prosperou como porto pesqueiro e graças à produção de sal. Era um centro de comércio. Com o porto controlavam a ilha de Santo Erasmo.

Em 1291, todos os cristaleiros de Veneza foram obrigados a mudar-se a Murano devido ao risco de incêndio, porque a esmagadora maioria dos edifícios de Veneza era construída em madeira.

Durante o século XIV, as exportações começaram e a ilha ganhou fama, inicialmente pelo fabrico de miçangas de cristal e de espelhos. O cristal aventurina foi inventado na ilha e, durante algum tempo, Murano chegou a ser o maior produtor de cristal da Europa. O arquipélago, mais tarde, ficou conhecido pelo fabrico de lustres. Embora tenha havido grande queda durante o século XVIII, a cristalaria continuou a ser a indústria mais importante da ilha.

No século XV, a cidade tornou-se popular como lugar de férias dos venezianos, e construiu-se um palácio, mas esta moda extinguiu-se depois. O campo da ilha era conhecido pelas suas árvores de fruta e jardins até ao século XIX, quando começaram a construir-se mais casas.

Fui outras vezes para a Itália mas acabei não indo a Murano, porém quando fui com parentes repeti o passeio para lá acrescentando outras cidades também como Burano e Torcello onde almocei.

Burano situa-se na lagoa de Veneza, e tal como a sua vizinha sete quilômetros mais a sul, Veneza, é na realidade uma localidade constituída por várias ilhas pequenas ligadas por pontes entre si. Localizada cerca de Torcello no extremo norte da Lagoa, é conhecida pelos seus cristais e trabalho em renda.

Para se chegar a Burano de barco pode-se utilizar os vaporetti (a viagem demora cerca de 40 minutos a partir do centro de Veneza), ou por estrada usando a ponte em Mazzorbo. De vaporetti é muito mais legal, recomendo.

Nessa ocasião, havia acabado de comprar um apartamento e quando cheguei e me deparei com os lustres e enlouqueci.

A maior parte dos hotéis na Itália tem como lustres os mais lindos tipos de Murano, como por exemplo esse que decorava uma das salas do Byblos Hotel em Verona.

 

A loja que fui era enorme, havia andares e a escolha foi bem difícil devido as mais lindas opções.

E, para falar a verdade, me encantei com um luminária de chão. Eu subia, descia, olhava tudo, mas ela me prendeu a atenção demais.

Só que o foco era o lustre de teto, e não uma luminária de chão.

Conversei com o proprietário da loja e ele disse que faria especialmente um lustre de teto com as mesmas características!!

Agora imaginam o trâmite para esses lustres chegarem até aqui?

Importação, várias vias de papelada, caixas enormes de madeira, por navio e as peças de cristal embaladas uma a uma.

Quando chegarem chamei o pessoal que trabalhava na loja Bobadilha na Consolação que tinha a expertise da montagem de algo tão delicado.

Com esse lustre que é o meu xodó vieram mais 2 e no dia da montagem as peças dos três tomaram conta de toda a extensão da sala de estar.

Mudei na sexta-feira de casa e o meu lustre foi o primeiro a chegar, participou de toda a reforma, ficou ali pleno, lindo e majestoso.

 

Ele é o protagonista da casa e olhá-lo me acalma. Até na quarentena.

Dani Mollo