Terroir

Terroir

Se você se interessa pelo mundo do vinho, as chances de já ter visto por ai o termo terroir são imensas.  Mas saber o que ele realmente significa não é uma tarefa tão simples assim. Segundo Madeine Puckett do site Wine Folly, “terroir é uma dos termos mais falados e menos compreendidos do mundo do vinho”.

Foto: Winepedia

Para começar a complicação, a palavra francesa não tem tradução em outras línguas. Em português é comum associarmos com palavras similares, como terra ou terreno. Mas terroir no vinhedo é muito mais do que isso: é a somatória de todos os fatores ambientais que interferem naquele pedaço de terra. Clima, solo, inclinação, orientação solar, ventos, topografia, quantidade de chuva, névoa, horas de sol, ou seja, tudo o que é relacionado ao ambiente de cada local.

Considerando-se todos esses fatores, muitas vezes terroir é chamado de microclima. Mas a definição de terroir tem um a fator a mais, fundamental para que possamos entendê-lo: a intervenção humana. A tradição, o modo como as coisas são feitas naquele determinado local, segredos passados de geração para geração de como o vinhedo reage e a uva se comporta são fundamentais no conceito de terroir.

Um exemplo clássico dessa intervenção humana é a Borgonha. Monges cistercienses mapearam cada pedacinho de terra da região, e a dividiram na “colcha de retalhos” que conhecemos hoje. Uma região aonde apenas duas uvas são plantadas: chardonnay e pinot noir. E cada pedacinho de terra produz um vinho com características próprias, distintos entre si, e nomeados de acordo com o local de onde vêm. Chablis, região no norte da Borgonha, produz vinhos maravilhosos a base de Chardonnay,  com um toque salino característico. Salino como se Chablis está bem longe do oceano? 

A salinidade é resultado de seu solo calcário Kimmeridiano – há milhões de anos atrás, a região era um oceano.  Ou seja, o solo exercendo sua influência no vinho. Diferente de outros vinhos brancos da Borgonha, geralmente Chablis não passa por barricas de madeira- escolha do homem para preservar a acidez e salinidade características deste vinho.

Tem outro fator interessantíssimo, sobre o qual pouco se sabe ainda: os micro organismos de um local exercem influência sobre o vinho. Por isso que um vinho pode ser sensacional em um pedacinho de terra e não tão incrível assim no vizinho.

Cada vinho tem um indicador biológico do local de onde ele vem” – explica Madeleine Pucket. Ou seja, não só o solo, mas também cada fungo, bactéria, cada minhoca que vive naquele local influencia o sabor e aroma de um vinho.

E não é só vinho que tem terroir! Os queijos da Serra da Canastra, por exemplo, se beneficiam de água pura  e capim fresco para alimentação das vacas, o que dá a eles  características únicas.  Tudo dentro da tradição em fazer queijos, trazida pelos portugueses. Tabaco, chocolate e café também são produtos conhecidos por possuírem terroirs distintos.

Quando falamos que cada garrafa de vinho é uma viagem, não é exagero. Um vinho que expressa seu terroir tem mesmo o poder de nos levar ao seu local de origem, seja pelo tipo de uva utilizado,  seu método de produção ou até mesmo minúsculas bactérias que habitam um vinhedo.

Daniella Dinis
Sommelière

/daniella.w.dinis
@danielladinis