Bonjour!

Hoje eu vou explicar o que é um vinho da Borgonha para ajudar vocês a entender esse mundo do vinho, que às vezes parece complicado, mas no fim é fácil.  Só precisamos ter algumas bases.

E como vocês conhecem o meu estilo simples de explicar eu vou fazer o mesmo com os vinhos, assim aos poucos podemos entrar nos detalhes nas próximas publicações. Mas tenham em mente que ao falarmos de vinhos da Borgonha o ano da safra e quem o produziu muda vários conceitos de qualidade do vinho, preço, harmonizações e tempo de guarda. Mas vamos deixar isso para depois. Vamos ao que interessa!

Quando falamos de vinhos franceses temos que usar um termo chamado “apelação”, Apelação de Origem Controlada (AOC). Essa expressão, que eu vou usá-la o tempo todo, em resumo quer dizer a categoria de um vinho proveniente de uma área geográfica específica e que segue regras de qualidade e fabricação pré-determinadas. Esse é um termo de suma importância e usual quando falamos de vinhos, tanto que a sua sigla AOC você a encontra nas garrafas de vinhos. Então guarde e anote essa palavra (apelação) e tenham em mente que eu fiz um resumo do resumo sobre o que é uma apelação, uma AOC, porque esse tema dá um texto à parte.

E o que essa palavra tem a ver com a Borgonha? Tudinho. A Borgonha é conhecida mundialmente pela alta qualidade dos seus vinhos tintos e brancos, sendo considerados os mais famosos que existem e que são feitos de monocépage. Palavrinha em francês (muito chic!) que quer dizer: uma única uva. Um único tipo de uva para fazer vinhos tintos, que é a Pinot Noir, e um único tipo de uva para os vinhos brancos, a Chardonnay.

Agora podemos juntar esses dois conceitos, apelação e monocépage, para entender os vinhos da Borgonha.

Aqui temos 4 apelações de vinhos tintos e brancos que começa do vinho menos complexo e geralmente mais barato ao vinho mais complexo e geralmente mais caro:

  • Apelação Regional Bourgogne
  • Apelação Village
  • Apelação Premier Cru
  • Apelação Grand Cru

Sabendo isso e que eles são feitos ou da uva Pinot Noir ou Chardonnay você entrou no mundo dos vinhos da Borgonha! É claro que existem outras uvas em menor produção como a Gamay para o tinto, o Aligoté para o branco e entre outras que podem fazer alguns blends (uvas que podem ser misturadas entre si) mas isso é assunto para outro post. O que vocês têm que ter em mente ao falar dos famosos vinhos da Borgonha é: monocépage – uma única uva Pinot Noir ou Chardonnay – e as 4 apelações: Bourgogne, Village, Premier Cru e Grand Cru.

Vamos conhecer a apelação Regional Bourgogne:

Em geral são vinhos que suas uvas são provenientes de uma área geográfica onde geralmente há uma planície onde há maior acúmulo de água da chuva, um solo rico em argila, que retém muita água e por isso a uva tem pouca concentração, ela é mais diluída e logo, seu vinho é menos complexo e com pouca possibilidade de guarda. A área de cultivo de uma apelação Bourgogne Regional é maior o que leva a uma grande produção e logo, menos concentração nas uvas. Ela é de 51.3% – veja logo abaixo.

Fonte: Site BIVB

Possibilidade de guarda é por quanto tempo você pode guardar um vinho para ser consumido e que ele ainda esteja bom: 5, 15, 30, 50 anos etc.

O valor de uma garrafa da apelação Bourgogne é mais baixo, podendo ser comprado de um bom produtor a partir de 15 euros de um ano mais recente, como 2017 e 2018.

Como servir: servimos geralmente de entrada ou como aperitivo num jantar. Se estamos num bar ele é o primeiro que iremos beber sozinho ou com uma tábua de queijos ou charcuterie (embutidos).

Dica: eu invisto bastante em Bourgogne Regionais de vinícolas que fazem ótimos vinhos Grand Cru, porque justamente eles irão também fazer um super trabalho com um vinho de uma apelação mais baixa. É como comprar uma sapatilha da Chanel. Você sabe que ela será ótima porque os seus produtos de ponta já têm uma ótima qualidade.

Produção de vinhos Bourgogne Regionais dentro da área de Apelação de Origem Controlada na Borgonha – AOC: 51.3%

Apelação Village:

A apelação queridinha que faz bonito! É um vinho que tem um pouco mais de complexidade, mais persistência na boca – ou seja seus sabores e aromas duram mais tempo na boca e nos permite analisar e apreciar por mais tempo – suas uvas vêm de uma área geográfica onde os solos são mais ricos e isso reflete na complexidade do vinho. Os produtores de vinhos começam a colocar seus esforços e atenção nessa apelação para poder explorar toda essa complexidade. A sua área de cultivo e produção é menor que a Bourgogne Regional para garantir a concentração típica de um vinho Village.

Uma garrafa de um ano recente é vendida numa loja a partir de 30 euros podendo chegar até 90 dependendo do produtor. Essa apelação já tem um potencial de guarda maior que a apelação anterior – a Bourgogne Regional.

Como servir: esse vinho já consegue impressionar, agradar os mais exigentes e deixar os iniciantes apaixonados.  Se você tiver um jantar e não tiver uma outra apelação da Borgonha, deixe-o para servir com o prato principal. Caso seja um longo jantar ou uma degustação ele é degustado logo após a apelação Bourgogne Regional ou da entrada em caso do jantar.

Produção de vinhos Villages dentro da área de Apelação de Origem Controlada na Borgonha – AOC: 38.1%

Apelação Premier Cru:

Uma apelação para ser degustada em ocasiões especiais como festas, comemorações, aniversários, datas comemorativas, etc. As uvas que fazem esse vinho ser um Premier Cru vêm de solos bem ricos, as raízes da vinha vão fundo no solo e passam por camadas diferentes de solos levando em seu sistema todos os nutrientes e diversidade dessas camadas. Essa complexidade toda aliada com a geografia, exposição solar faz com que as uvas que são colhidas dessa área geográfica seja um Premier Cru. Os cuidados na viticultura – agricultura das vinhas – e na vinificação são maiores.  E sua área de cultivo é menor que a apelação Village, temos menos uvas que possuem mais concentração. O potencial de guarda em geral é alto, de 15 anos ou mais.

Uma garrafa de um ano recente, como 2018, 2017 sai a partir de 70 euros e atinge valores altos dependendo do ano e produtor.

Como servir: caso você não tenha em sua adega um Grand Cru, o Premier Cru deve ser o vinho principal do seu jantar. Um vinho que quando está à mesa é aguardado por todos e deve ser bem apreciado e com calma e geralmente com bons amigos.

Produção de vinhos Premier Cru dentro da área de vinhos de Apelação de Origem Controlada na Borgonha – AOC: 9.3%

Apelação Grand Cru:

Um Grand Cru é como um jogador de futebol que ganhou a Bola de Ouro. Nós esperamos muita entrega e energia desse jogador e é o mesmo para um vinho Grand Cru. Suas uvas são muito bem cuidadas durante a viticultura e vinificação. Os produtores exploram – no bom sentido – a concentração dessas poucas uvas para ser uma explosão de elegância, complexidade, persistência, aromas, ao serem degustados. É um vinho que pode causar emoções, tocar fundo na alma, tamanho é a sua complexidade e como ela nos faz sentir. O seu potencial de guarda também é grande, podendo ultrapassar 20 anos.

A área de produção de um Grand Cru é bem pequena, por isso a produção é pouca e para manter a qualidade das uvas é normal termos poucas uvas na colheita para que elas mantenham suas qualidades.

Uma garrafa recente de Grand Cru da Côte d’Or da Borgonha começa a partir de 150 euros de um ano recente como 2018, podendo chegar a valores como 7 mil euros.

Como servir: ocasiões especiais como Natal, Ano Novo, pedidos de casamento, grandes e importantes jantares, grandes celebrações. É um vinho para uma super ocasião e deve ser o principal da noite ou do evento. E não esqueça o fundamental: beba esse vinho com pessoas que você ama.

Produção de Grand Cru dentro dos vinhos de Apelação de Origem Controlada na Borgonha – AOC: 1.3%

Como vocês podem ver os vinhos da Borgonha são caros mesmo para o mercado interno francês. Não é todo mundo que tem a oportunidade que eu tenho de beber quase que exclusivamente os vinhos daqui de grandes e renomados produtores e de pequenas estrelas em ascensão. Por isso que eu admiro o trabalho desses homens e mulheres do mundo do vinho com grande humildade e tenho um enorme prazer em trazer para vocês, leitores do Trendy 4 U, um pouco desse mundo que os borgonheses gentilmente me permitiram o acesso.

Espero que tenham gostado, porque nos próximos posts vamos conhecer algumas apelações de perto para poder fazer algumas harmonizações! Vinhos da Borgonha do aperitivo ao cafezinho! Sim, ao cafezinho.

Se quiserem o meu serviço de consultoria de compras de vinhos da Borgonha ou um passeio comigo para conhecer essa linda região é só entrar em contato através do meu site www.vempraborgonha.com.br e não esqueça de mencionar que é um leitor da Trendy 4 U.

Eu sou a Juliana Lins Cruz dona e criadora da empresa e marca Vem Pra Borgonha.  Eu promovo experiências guiadas eno-gastronômicas e culturais na Borgonha e no site Trendy 4 U eu trago um pouco do estilo de vida da Borgonha e da França para vocês! 

Sigam as minhas redes sociais sob o nome Vem Pra Borgonha e meu site com todos os detalhes www.vempraborgonha.com.br

Até a próxima,

Juliana Lins do Vem Pra Borgonha

Facebook
Instagram