Em evento exclusivo e intimista organizado por Flávia Medrano, tive o privilégio de conhecer, até antes do e-commerce entrar no ar, a linha de beachwear vegana chamada Satya.
 
 
A marca se pauta em 3 pilares principais: CONEXÃO, SUSTENTABILIDADE E AUTENTICIDADE com o objetivo de influenciar o consumo consciente e instigar uma reflexão sobre a relação da moda com o meio ambiente.
 
Satya em sânscrito significa autenticidade e transcreve o intuito da marca em apresentar uma nova maneira de enxergar a moda beachwear.
 
Todas as peças são elaboradas em tecidos tecnológicos e biodegradáveis com o diferencial do tingimento vegetal, fazendo da Satya a primeira marca de beachwear vegana com pigmentação natural.
 
A preocupação da marca estende-se por todo processo criativo e produtivo.
 
 
O projeto de desenvolvimento do fio biodegradável levou cinco anos. Um período relativamente curto quando se pensa em pesquisas, mas que condiz com a velocidade nas descobertas e aplicação das tecnologias inovadoras na área têxtil.
 
O tecido biodegradável é uma solução para o problema do Planeta Terra que vem produzindo mais resíduos do que é capaz de absorver.
 
Criado e desenvolvido no Brasil, o fio de poliamida biodegradável destaca-se pela durabilidade enquanto está em uso e pela decomposição rápida quando descartado em aterro controlado.
 
A poliamida biodegradável é absorvida pelo meio ambiente dez vezes mais rápido do que a comum, degradando-se em até 3 anos, além de não produzir microplásticos em respeito também a vida marinha.
 
Os resíduos da sua biodegradação são basicamente compostos orgânicos, da mesma forma que os resíduos de outros materiais naturais biodegradados, tais como papel e algodão. São isentos também de metais pesados, e não oferecem toxicidade ao ambiente.
 
Quanto ao tingimento natural, ele conecta a marca e seus produtos com a biodiversidade, o desenvolvimento sustentável e tecnológico através do resgate de conhecimentos ancestrais. As colorações naturais são de origem renovável como cascas de árvore, frutos, folhas e raízes que são alternativas para o tingimento industrial.
 
Toda a cadeia produtiva da marca é um processo humanizado, valorizando o trabalho manual, do produtor, da cultura local principalmente respeitando as relações instauradas na cadeia e o tempo de cada etapa.
 
Darsana é o nome da coleção e sua cartela de cores apresenta as cores vinho, laranja e amarelo que contrastam com os tons delicados de rosa extraídos do pau-brasil a fim de criar equilíbrio sem perder a delicadeza da filosofia budista. Os nomes das cores são lindos: cúrcuma, rúbia e urucum.
 
 
Darsana significa visão em sânscrito e tem o significado essencial para essa coleção que se baseia na filosofia budista, procurando conexões entre seus preceitos e a abordagem contemporânea de sustentabilidade e preservação ambiental.
 
Amanda, Gabi e Thabata, as sócias na marca são o melhor cartão de visita que se poderia ter. Com biotipos diferentes porém com a consciência completamente alinhada. Conversar com elas sobre todas as etapas da produção, idealização, a viagem ao Oriente para pesquisa, as plantas utilizadas no tingimento, o estudo do movimento da peça no corpo da mulher é uma delícia para os sentidos, uma conversa vibrante e rica em detalhes.
 
De uma competência enorme e cheias de informações as meninas esbanjam naturalidade, assim como toda a coleção.
 
Não tenho dúvida de que serão um sucesso e já iniciam um legado de empatia com o próximo e com o Planeta Terra.
 
Redes Sociais:
 
@satyabeachwear
https://www.facebook.com/Satya-Beachwear-632400280554659/
https://www.satyabeachwear.com.br
 
 
Dani Mollo