A chegada da menopausa na vida da mulher traz inúmeras transformações e não são nada agradáveis.

Quando a mulher recebe a noticia de que está entrando na menopausa é como se estivesse recebendo uma sentença de final de vida.

Culturalmente a mulher foi criada para procriar e com a redução  dos hormônios ela perde essa função. Algumas chegam a se sentir secas por dentro, como se estivessem murchando.

Um dos principais efeitos acontece justamente na vida sexual, devido o ressecamento vaginal, atrofia do aparelho genital e resposta mais lenta aos estímulos sexuais.

Somado a isso, o desconforto que a lentidão na lubrificação vaginal causa pode induzir a uma redução na autoestima e, consequentemente,  fazer com que haja um afastamento das atividades sexuais.

Muitas vezes a mulher pode sentir dores e desconforto durante o ato sexual porém, devido a falta de informação ou receio, ela não recorre às terapias e tratamentos especializados disponíveis.

Existe um grande preconceito na nossa cultura de que sexo é “coisa para jovens”. Na realidade a idéia de que a velhice é assexuada é um mito e isso foi comprovado por estudiosos da sexualidade humana, como  Masters e Jonhson, Kaplan e tantos outros.

O impacto na sexualidade está muito mais relacionado aos aspectos  psico-socioculturais do meio em que ela vive do que associado a função sexual em si.

Muitas vezes as mulheres encaram a redução da libido como algo inevitável ou irremediável e  aceitam conviver com um problema que  é simples de ser solucionado.

Se engana quem pensa que sexo tem idade, sexo é vida e o orgasmo é para vida toda. Portanto, não há limite de idade para se viver plenamente a sexualidade.

Aliás, nessa nova fase da vida, a mulher não tem mais medo de engravidar, conhece bem seu corpo, seus desejos, sabe muito bem o que gosta e o que não gosta. Portanto, tem controle dos fatores que propiciam um sexo mais pleno e  prazeroso.

A medicina traz a possibilidade de resgatar tudo aquilo que supostamente a menopausa subtrai do corpo da mulher.

Existem várias alternativas de tratamento disponíveis mas, sem dúvida nenhuma, a reposição hormonal é a mais eficaz de todas elas. Com esse tipo de tratamento é possível repor tudo aquilo que o organismo parou de produzir.

A reposição hormonal ainda é um tema bastante polêmico para muitas mulheres, mas na maioria das vezes trata-se de falta de conhecimento. Importante ressaltar que o acompanhamento de um médico é imprescindível.

Dessa forma, a mulher terá seu organismo funcionando “a todo vapor”, com a vantagem da maturidade.

 

Portanto, encare  essa fase da sua vida como uma nova oportunidade para viver de forma mais livre, sem medos, preconceitos ou tabus.

Você não precisa aceitar conviver com os efeitos nefastos da menopausa, porque existe sim um caminho com várias alternativas onde todas elas culminam no bem estar e, consequentemente,  na felicidade de se viver a vida de forma plena.

Procure seu  médico porque  juntos vocês certamente encontrarão a melhor forma de tratar seus sintomas.

Lembre-se, sexo é vida e toda idade é idade de  ser feliz.