Uma viagem pelo metaverso

Uma viagem pelo metaverso

Uma das palavras mais quentes do ano passado, e que vai continuar trending por um bom tempo é o Metaverso. Uma corrida parece ter começado, todos se apressaram para participar e se esforçam para acompanhar essa nova tecnologia. Ninguém quer ficar para trás. Mesmo que famoso, ou infame, esse termo dominou a internet, e o mercado, mas afinal, o que é esse tal de metaverso?

Para ajudar a explicar isso tudo, eu pedi ajuda de um convidado especial, o Theo (@theo.rises)! Eu já escrevi sobre ele aqui no Trendy4U, o Theo é um humano virtual Brasileiro-Coreano criado pela VHP que trabalha como um influencer online. Virtual Influencers, influenciadores virtuais ou influenciadores CGI, como também podem ser chamados, são “pessoas” fictícias geradas por computador que têm características e personalidades realistas semelhantes a humanos.

Recentemente o Theo usou o metaverso para viajar para diferentes locações, que incluem sua atual viagem para o Brasil, mas também curtas visitas às sua séries, filmes e programas de TV favoritos (incluindo até mesmo o BBB). Então quem melhor que o Theo para nos explicar o que é, e como funciona, o metaverso.

Segundo o Theo, o metaverso é uma rede de mundos virtuais 3D focados na conexão social. Esse termo veio do futurismo e da ficção científica, onde o metaverso é descrito como uma nova versão da Internet como um mundo virtual único e universal. O Metaverso surge como uma evolução da internet atual, que será uma plataforma mais imersiva de realidade virtual onde as pessoas podem jogar, se conectar com amigos, participar de reuniões e até mesmo ir a shows virtuais.

Pelo menos por enquanto, parece que não haverá um Metaverso, mas sim milhões de meta-mundos, assim como existem os milhões de sites na Internet atualmente. Para oferecer uma experiência virtual imersiva no metaverso, as empresas de tecnologia estão incorporando tecnologias de ponta para impulsionar o desenvolvimento do mundo 3D. Essas tecnologias incluem blockchain, realidade aumentada (AR) e realidade virtual (VR), reconstrução 3D, inteligência artificial (AI) e Internet das coisas (IoT).

O Theo descreveu o metaverso de uma maneira mais simples, é como jogar The Sims, mas um The Sims gigante, onde todas as pessoas do mundo inteiro estão jogando juntas e os items e atividades dentro do jogo tem valor no mundo real. Em outras palavras, o metaverso é basicamente uma representação de um mundo virtual 3D imersivo onde os usuários podem interagir com espaços virtuais usando um avatar que você cria. No metaverso, você pode jogar, fazer compras, sair com amigos em um café virtual, trabalhar com seus colegas em um escritório virtual e muito mais. Alguns videogames e ferramentas de socialização do trabalho já implementaram certos elementos do metaverso em seus ecossistemas.

O metaverso é literalmente um universo de possibilidades, e agora as grandes empresas de tecnologia estão correndo para desenvolver o metaverso que será o mais visitado e habitado dentro da web. Projetos de criptomoedas como Decentraland e The Sandbox já têm seu mundo digital em funcionamento. No entanto, o conceito de metaverso é relativamente novo, portanto, a maioria de suas funcionalidades ainda está em desenvolvimento. Empresas como Facebook (agora Meta), Microsoft e Nvidia também começaram a criar suas versões do metaverso. O Facebook, que depois de anunciar que mudaria seu nome para Meta e que se concentraria na construção de seu próprio mundo digital, impulsionou o interesse em imóveis do metaverso.

E você, já pensou em entrar no metaverso? Adquirir um imóvel? Conduzir suas reuniões de trabalho em 3D? Eu, no caso, estou super ansiosa para me encontrar com o Theo no Metaverso! Espero encontrar vocês lá também!

Até o próximo texto, 안녕하세요!

Vittoria Ventura

Facebook
Instagram